Translate

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Ainda sobre "Místicos": não me canso de falar dessa série de livros



Capas de "Misticos I: Alma Perdida" e "Místicos: Batalha das Bruxas", de Ellen Savvy



Eu já mencionei o livro “Místicos I: Alma Perdida” em dois posts aqui do blog. A leitura desse livro, que mistura romance e fantasia de uma maneira totalmente inusitada,  me proporcionou boas horas de divertimento.  Nesses tempos em que tantas  bandeiras são levantadas, em favor de causas variadas, ou ainda, nos vimos obrigados a fazer tantas leituras em função da pós-graduação, ler um livro por pura diversão chega a ser um luxo.  


Agora volto mais uma vez a falar de “Místicos” e com o mesmo entusiasmo,  porque tive o imenso prazer de ser a leitora beta do segundo volume da série, o “Batalha das Bruxas”. O único trabalho que tive como leitora beta foi apreciar, em primeira mão,  a continuidade dessa obra magnífica,  pois o que a autora Ellen Savvy me entregou foi um texto muito bem escrito e coerente.

Livros que abordam a existência de um universo paralelo não são novidade.  Há desde aqueles escritos puramente para entreter até aqueles que defendem teorias diversas.  No entanto,  essa série surpreende pela complexidade dos seus personagens. Não espere mocinhos de um lado e bandidos do outro.  Ou heróis inabaláveis, incapazes de titubear.  Bruxas, demônios,  warlocks, anjos, almas, seres místicos diversos estão envolvidos em uma disputa pelo poder sobre a humanidade.  Mas, essa batalha terá o seu desenrolar marcado por outra batalha: a de sentimentos.  Sim. Esses seres místicos são capazes de amar,  odiar,  invejar, sentir ciúmes…

No primeiro livro vamos conhecendo pouco a pouco a médica oncologista Elena. Ela nada sabe sobre suas origens (isso por si só já soa muito suspeito!),  apenas que cresceu em um orfanato,  nunca pode ser adotada por uma família e que um doador misterioso bancou a sua faculdade de medicina. Como forma de retribuir a generosidade de seu protetor desconhecido, Elena torna-se uma cirurgiã oncologista dedicada e se envolve em trabalhos voluntários com as crianças vítimas de câncer que se tratam no hospital no qual ela trabalha.

Sem nenhum motivo aparente a médica passa sofrer com insônia e pesadelos.  Nessa mesma ocasião, dois novos personagens passam a fazer parte do seu cotidiano: um artista famoso e um médico que chega para assumir o pronto socorro do hospital.  Quem são esses homens e como vão alterar definitivamente a vida de Elena?

E mais: quem é Elena e como essa mulher está ligada ao destino da humanidade?  Isso ficamos sabendo no segundo livro,  aquele que narra a batalha que definirá o futuro da raça humana e o equilíbrio do mundo místico. Trata-se da eterna luta do bem contra o mal, então? Claro que sim! Mas, o desenrolar dessa luta nada tem de convencional.

Porém,   nada acontece da forma que se espera em “Místicos”.  Em meio a toda essa epopéia,  um triângulo amoroso tem seu lugar e Elena se vê dividida entre um deus e um warlock, cada um capaz de oferecer a Ela uma dimensão diferente do amor.  Eu tenho a impressão de que são dimensões que se complementam, então, confesso que me peguei pensando se não seria possível para Elena conciliar esses dois amores. Esse triângulo amoroso vai proporcionar cenas muito ternas, especialmente no segundo livro e vai influenciar bastante os rumos da história,  quando decisões que deveriam ser tomadas com muita racionalidade,  se deixam influenciar pelas emoções.

Qual será a escolha de Elena: um deus que,  às vezes,  apresenta fragilidades tão humanas ou um warlock que renunciou à sua origem maligna? Esse é assunto para  terceiro volume da série, previsto para meados do próximo semestre.

Mas, essa não é a única pergunta carente de respostas.  Muitos outros mistérios nos aguardam no próximo livro.  Uma grande batalha ainda está por vir,  o maior duelo místico jamais visto.  Quem vencerá esse duelo?  E, será que, finalmente Elena recuperará sua alma perdida?

É quase irresistível comparar “Místicos” com a saga de Harry Potter ou com o Senhor dos Anéis, por exemplo.  Porque aqui também estão presentes os elementos que compõem uma boa fantasia.  Na minha opinião,  “Místicos” tem um elemento a mais e que torna a história ainda mais especial: a maneira como foi construído o triângulo amoroso entre Elena, Seth e Evan.

Você pode começar já a acompanhar essa saga. Basta baixar o ebook no site da Amazon.  Inclusive, você poderá lê-lo gratuitamente no Kindle Unlimited. Baixe agora o seu ebook.

Mas, se você prefere ler o livro físico e até guardá-lo em sua biblioteca,  “Místicos I: Alma Perdida” já está a venda em sua versão física no Clube de Autores. Saiba mais aqui.






2 comentários:

  1. Que texto lindo! Fiquei sem palavras...

    ResponderExcluir
  2. Estes livros são mesmo muito emocionantes!!!
    E estou aguardando ansiosa o terceiro volume desta trilogia que noa encanta com seus mistérios! ❤

    ResponderExcluir